quarta-feira, abril 12, 2017

Um começo, talvez

Agora eu não quero estar em outro lugar do mundo,
a não ser ao seu lado.
Estou me permitindo vivenciar coisas boas e únicas.
Estou conseguindo ser eu mesma quando estou junto de você.
Acredito que você sinta o mesmo que eu.
Se for um sonho. Por favor, não quero mais acordar.
Consigo expor mais meus sentimentos.
Consigo estar nua perto de você.
Consigo sentir. Consigo senti-lo.
Segure minha mão.
Adoro quando nossas mãos se apertam.
Amo o jeito que você olha pra mim.
Você me abraça me protegendo.
Adoro quando você dança. Amo você perto de mim e com seus amigos.
Amo quem você é, e isso em muito pouco tempo.
Está ficando claro pra mim, que talvez não seja tão breve assim,
mas caso seja, é o melhor momento breve que já tive até hoje.
A criança que existe em você é tão rara, que eu quero abraçá-la sempre.
Nós podemos nos salvar.
Tudo depende de nós.
Que isso só esteja começando.
Seja lá o que isso for.

sexta-feira, março 03, 2017

Decidir escrever um pouco sobre você

De muitas pessoas que conheci durante esses meus 20 anos no mundo,
você foi de longe uma das mais coloridas. Você me trazia confiança, me tratava como uma adulta, me olhava com outros olhos, me via como um ser capaz e me dava liberdade. Mas então eu tive que me desfazer disso, porque eu quem preciso me trazer confiança, eu quem preciso me ver como mulher, eu quem preciso me olhar com outros olhos, preciso me ver como alguém capaz e me dar minha própria liberdade.

Você me disse que não faltou oportunidades para você estar com outras pessoas, para aproveitar mais. Você também me disse que não ficou tão mal assim com o término. Na verdade vi você se divertindo com pessoas que são seus amigos de verdade, coisa que dificilmente você faz. Vai ser mais fácil pra você, acredito eu.

Entenda que se fiz isso, é porque achei preciso. Pra você estava tudo bem, para mim nem tanto. Não queria perder sua amizade, mas não estamos no momento de só sermos amigos.

Não queria precisar de você. Só queria ter você.

Aproveite minha grande pessoa. Você vai conquistar tanta coisa que fico até orgulhosa antes do tempo. Eu só fui uma etapa da sua vida. Virão muitas outras. Assim como vai ser pra mim.

Um grande beijo da sua fiel companheira.

sexta-feira, fevereiro 03, 2017

"Ele"

Ele tenta me ver como mulher, mas sabe que sou criança
Ele me escuta, mas não tem muito o que escutar
Ele é tão capaz e eu sou tão incompetente
Ele é descomplicado e eu sou tão inexplicável 
Ele parece precisar de outro tipo de pessoa ao seu lado
Ele é insensível, porém sensível
Ele faz bom uso das palavras, ele às leva a sério
Ele é extraordinário 
Ele é raro
Ele é lindo pra mim
Ele já viveu tanta coisa e eu não
Ele muitas vezes é destemido, eu vivo em esconderijos
Então por que estamos juntos?
O que ele vê em mim, afinal?

quarta-feira, fevereiro 01, 2017

Lar Interior

Ela havia se esgotado das pessoas. Não queria saber como seus amigos estavam, se estava tudo bem com suas respectivas famílias. Não queria saber se seu ex estava ou não seguindo bem em frente. Não queria saber se sua família precisava dela. Não queria saber dele, dito cujo, que ainda não tinha nome para a participação na vida dela. Não queria saber de política. Ah não, longe disso. Nunca fez questão na verdade. Não aguentava essa pressão que as pessoas ao seu redor, sem querer, faziam ela passar. Ela cansou de reality shows porque as pessoas sempre mostravam a mesma coisa. O lado superficial. O lado egocêntrico. Ela via o pior das pessoas num reality show, e o engraçado é que antes se divertia com isso. Ela chegou a um ponto de querer seu tempo. Ela estava se perguntando muito quem ela era em meio a uma multidão de pessoas.

Pois bem. Ela viajara de avião para onde sempre quis ir. Sidney. Austrália.
Largou o celular no meio de mil objetos frágeis em sua bolsa. Colocou seu melhor biquíni. Sorriu. Mas não um sorriso farto de satisfação. Um sorriso mais calmo, lento e sossegado. Fez uns exercícios de alongamento. Algo que sempre se impedia de fazer por preguiça ou por esperar alguém a acompanhar.

Os dedos de seus pés brancos se agitavam na areia úmida que recebia o mar verde e limpo com calma. Estava vazio por lá. Uma ou outra pessoa. Mas eram estranhos. Pelo menos eram estranhos. Não saberiam seu nome. Se estava bem ou não ou se gostaria de conversar sobre assuntos que já se repetiam todos os dias. Por um momento ela não precisou sentir que fazia parte de algo maior sem precisar estar bêbada. Por um instante ela olhou profundamente aonde estava.

- Era tudo o que eu precisava. - sussurrou bem baixinho.

O barulho do mar foi música para seus ouvidos. Já não se importava mais com o que pensavam dela. Se havia ou não decepcionado as pessoas. Se estava pronta para uma faculdade. Se tinha dinheiro o suficiente para se sustentar. Só de estar ali, era um sentimento completo. Queria que nunca acabasse. Queria que aquele fosse o céu, onde todos querem ir. Pelo menos os que acreditam. Acreditar. Sim. Ela não precisava acreditar ou entender nada naquele momento. Seriam verbos ocos e sem significado em seu vocabulário.

Uma paz interior profunda. Não queria chamar de Sidney, ou de praia, ou de Austrália... Queria chamar de lar. Seu lar interior. O lar que gostaria de estar sempre para esquecer o que ficou pra trás. Sem depender de ninguém. Só de si.

Welcome back 💛

De onde vem a força?

Eu não sei o que estou fazendo. Não sei para onde ir. Não sei se tenho algum lugar pra chegar. Não sei quem devo valorizar. Não sei caminhar tão solta. Não sei voltar. Não sei por onde começar. Não sei onde estou. Não sei quem eu sou. Estou sem forças. Onde encontro essas forças? Estou indo bem? Faço diferença? Procuro mudar? De onde vem a força? De onde vem a minha força?