segunda-feira, novembro 03, 2014

TheGoodLife.

Como todo mundo eu tenho um ciclo de vida a seguir para eu sentir a vida passar ou não muito rápida. Avalie comigo a ordem geral:

1. Bebê aprendendo sobre o mundo com base nas pessoas próximas que tem sem saber;
2. Criança com curiosidade de tudo e todos;
3. Adolescente com vontade de se conhecer no mundo e sofrer mil perdas de identidade;
4. Adulto enfrentando a realidade e o trabalho duro faltando no quesito ''diversão'' e insatisfeito com quem é;
4. Idoso com um milhão de passados a contar, expectativas a criar com sua família e se pondo em último lugar porque acha que já morreu.

Eu não estou seguindo essa ordem exatamente. Na minha fase de adolescência eu cresci com raiva do mundo, com poucos amigos, poucas expectativas e sem nenhum entrosamento com o sexo masculino. Aliás, eu tinha nojo disso. Contudo, com tantas recusas de diversão e conhecer pessoas novas (Que não é uma característica própria da adolescência, mas de qualquer estágio da vida) eu acabei com minha fase adolescente me ''prevenindo'' de tantas situações embaraçosas que eu acharia que nunca fosse aguentar e agora completo meus 18 com todas as vontades que eu deveria ter tido aos 15. Termino a escola sem quase ter frequentado festas de aniversários, participado de atividades grupais de turma (Parte culpa minha e parte não) e sem ter tido ao menos um, como diz a minha mãe, paquera (No caso ficante, como muitos rotulam). Agora todas essas vontades caem sobre mim como chuva no verão e eu não consigo me controlar de voltar no passado.

Para você ter uma ideia, todo o fim de semana eu vou em baladas com vontade de ficar com Deus e o mundo. Durante a semana eu não tenho a mínima vontade de crescer, quero passar longe de estar na internet a procura de emprego ou em frente a um caderno estudando, mas eu devo. Contudo ainda não me sinto preparada para nada. Seja a um vestibular, a um emprego, a uma faculdade... Nada ainda. Sou dramática demais gente, porém to crescendo rápido demais. Minha mente ficou na creche, saiu rolando pro CA e ficou presa pra sempre no ensino fundamental/médio. Parece que comecei a ''gozar da vida'' agora. E o agora seria o momento errado. Sei que falam que na vida não tem essa de seguir padrões, você sente tudo o que tem que sentir na hora e espera quando estiver pronto. Mas por exemplo, minha mãe vira para mim e diz: estamos com dificuldade de pagar as contas de casa, preciso da sua ajuda. Eu não vou virar pra ela e dizer: Espera aí mãe, deixa eu me divertir primeiro enquanto não estou pronta para ajudar ninguém.

Pois é, ter 18 anos e ter terminado a escola só me põem face 2 face com a vida. Estou encarando ela com mais fervor todos os dias e é e não é uma experiência agradável. Não vou dizer também que tudo é ruim. Contudo, conforme minha visão de platéia, tende a piorar daqui pra frente. Enquanto meus amigos estão amadurecendo, eu estou em processo ainda. Parece que não cheguei ao ápice da idade correspondente. É como se eu não estivesse concordando que tenho 18 anos e agora preciso/devo ajudar minha família e aprender a me virar sozinha.

Saudades de me enrolar num cobertor após brincar de barbie e sentir minha mãe me acariciando até eu dormir. Saudades das briguinhas de escola que eram vistas como o fim de uma era. Bem, só me resta isso. Nostalgia. Não posso voltar no tempo e muito menos viver ele de novo. Hoje eu não cresci, mas talvez amanhã eu tenha algo diferente em mim. Só é exaustivo esperar isso acontecer. Então preciso fazer acontecer. Mas cadê a força de vontade? Preciso encontrá-la, assim como minha motivação. Bem, é isso. Vou ao curso de inglês agora e ver o que a noite me prepara, assim como o resto da vida.

no time for ur shit | via Tumblr    

Nenhum comentário:

Postar um comentário