sexta-feira, janeiro 16, 2015

2015. NINGUÉM SAI.

Gente. Acho que eu dormi no ônibus. Acho que o metrô me deixou com algum sonífero fatal. Acho que peguei um avião para fora do Brasil ou um foguete para marte. Já é 2015? MEU DEUS. O quanto eu sumi do meu pequeno refúgio de letras que confortam uma mente perturbada?

Apesar de eu ser uma especialista em dizer que a vida é uma merda e que não vou obter sucesso algum porque sou recém-diagnosticada como pessimista do caralho, meu final de ano me trouxe um bando de surpresas. 2014 me trouxe em si. Mas a melhor parte foi conseguir enxergar que existe sim pessoas que gostam de você e que te tratam bem. Independente das surpresas futuras ou dos passados vergonhosos, devo dizer que nada se compara ao agora. Existe sim aquele cara. Pode acabar rápido, mas é tão maravilhoso você escutar o quanto está bonita e simplesmente enxergar que ele está lidando com suas partes ruins. É assim. Bate um desespero se vou encontrar alguém, depois encontro e tudo se acalma, depois me vem o desespero de novo pensando até quando pode durar ou então se não durar quem será o próximo ou se terá um próximo. Anyway. A vida prega peças sim. É tudo muito confuso. Mas nunca se abale por completo, tudo tem um jeitinho. No final das contas, a vida só está no primeiro capítulo. E quem disse que você não pode ler 432908 outros primeiros capítulos?

Sky

Nenhum comentário:

Postar um comentário